sábado, 30 de maio de 2009

Alteridade num show de Rock


O mundo é dividido em tribos. Na verdade sempre foi, mas agora temos as tribos dentro de outras tribos. Temos tribos iguais em países diferentes, tribos diferentes em países iguais, tribos do bem, tribos do mal. Tribos que se juntam para rir e tribos que se juntam para chorar.

Algumas delas percebemos facilmente, pois possuem um estilo próprio de vestimenta, usam acessórios evidentes, saem em grupo para as praças das cidades.

Porém, a tribo que mais de encanta é a tribo do Rock. A tribo da alteridade. Todos podem ser dessa tribo, não existe exigência de cor, credo, vestimenta, condição física. Basta gostar de guitarra pesada, pular ao invés de rebolar (ficar parado também vale), mas tem que deixar o som entrar pelos ouvidos e envolver-se com a rebeldia das letras revolucionárias.

Foi assim no show da Rita Lee em Porto Alegre ontem (29/05). Uma tribo formada por todas as idades foi embalada pela diva do rock nacional. Foi impressionante dividir o mesmo espaço com crianças de 12 anos e idosas carregando suas bengalas. Ouvir o coro daqueles que não satisfeitos viverem essa paixão, passaram para seus descendentes o prazer de apreciar um show de rock.

Rita Lee, esbanjando saúde, cantou seus maiores sucessos e encerrou o show mostrando uma face oculta, eu diria até podre se fosse qualquer outra pessoa, mas, ela pode tudo... Rita Lee é colorada! Isso mesmo Andressa, pode ficar faceirinha. Disse que o inter foi apresentado a ela, juntamente com o chimarrão, por seu pai. Seu time oficial é o Corinthians, mas a diva fez questão de cantar as últimas músicas com a camisa do colorado, uma paixão antiga.

Noveleira, criou suas próprias traduções para "tique", que segundo ela deve significar hummm ou ahamm e "rarebaba" que está mais para Puta que Pariu! Não pulou porque o médico proibiu depois de uma cirurgia de hérnia de disco, mas empolgou gremistas e colorados, duas tribos unidas por uma mesma paixão. Uma noite para ficar na memória de quem vivenciou esse momento.

Esse vídeo é uma encomenda da Naty.


video

4 comentários:

Natacha Kötz disse...

Aiiiiii! Que emoçããããão! Obrigada, Elis! Amei, amei, amei. Como tu diria, "eu queria ser o dedinho do pé" da Rita Lee.
Muito bom o texto. Conseguiu expressar direitinho a sensação de estar diante da diva.
Espero que na próxima possamos ir juntas.
Beijoca

Natacha Kötz disse...

Rita Lee é uma das únicas cantoras brasileiras que fala de sexo sem ser vulgar. Rita Lee pode tudo! Rita Lee é MARA!

Andressa Xavier disse...

Posso ir junto no próximo?? Por favor!!!!

Natacha Kötz disse...

Pode :)