quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Decepções amorosas influenciam no comportamento (e no armário) feminino

Como diz a descrição do blog: idéias, opiniões, histórias, gostos e desgostos... Aqui, falamos de tudo. Portanto, vou sair um pouquinho das premiações (merecidíssimas, por sinal) e falar de algo com que tenho me identificado bastante nos últimos tempos.

Sexo x Roupas

A Unilever, nos Estados Unidos, divulgou o resultado de uma pesquisa bastante interessante, diga-se de passagem. Ela mostrou que as mulheres (pelo menos a maioria delas) dá mais importância às roupas do que ao sexo. Sim, caro leitor, você leu certo.

* 61% das americanas consideram que seria mais traumático perder uma peça de roupa favorita do que ficar sem sexo durante um mês

* 2% aceitariam, sem problemas, três anos de abstinência sexual se, no final desse período, ganhassem um armário repleto de roupas novas

* 48% garante que um homem não pode lhes transmitir tanta segurança nem fazê-las sentir tão sexy como sua roupa favorita

Peço desculpas à massa leitora masculina deste blog, mas acho que essa pesquisa se enquadra perfeitamente ao momento de vida pelo qual estou passando.

Depois de decepção atrás de decepção, não há prazer maior do que sair com as amigas e comprar uma beeeeela roupa. Como diz a pesquisa, muitas vezes uma roupa transmite muito mais segurança do que um homem panaca do nosso lado, que não dá nem metade do valor que merecemos. E, como diria a dama Andressa, “uma roupa não promete que vai ligar no dia seguinte e não liga”. Eu ainda completaria dizendo que uma roupa não ilude, não faz promessas que jamais irá cumprir, não enche a cara na balada, enfim... A lista é interminável, por isso acho melhor parar por aqui.

Chocolate x Sexo

A mesma empresa revelou que as mulheres consideram o chocolate mais irresistível do que o sexo. Foram entrevistadas em torno de 3.500 mulheres, entre 18 e 35 anos, de 13 países (incluindo o Brasil).

A pesquisa também divulgou que as brasileiras (sim, nós mesmas) são as maiores fãs do chocolate. Além de considerarem o ingrediente afrodisíaco, ele é responsável por proporcionar um prazer comparável ao sexo.

Outro dado revelado foi que 93,3% das brasileiras confessam que o chocolate é uma tentação praticamente impossível de resistir e comparam essa sensação com a de ganhar um presente e garantir estado de bom humor por um bom tempo.

Além disso, as diferenças culturais deixam evidentes as preferências das entrevistadas. Na Índia, por exemplo, as mulheres preferem as jóias a sexo, já nas Filipinas a mulherada considera o sexo o item menos atrativo de todos os apresentados. Já com as argentinas e as espanholas a coisa muda: elas preferem o sexo diante de todas as outras maravilhas femininas apresentadas na pesquisa.

Bom, acho que o jeito é nos mudarmos pra Espanha ou pra Argentina. Quem sabe assim, a Elis deixe de ser a única casada do grupo e eu encontre um chinelo velho pro meu pezinho cansado, né?

Vaticano faz a alegria da mulherada

Pra finalizar, vou ter falar sobre algo que lemos ontem durante a aula. Segundo o site da Globo, o Vaticano vai lançar um calendário com jovens padres com o objetivo de levar informações até a população e não instigar desejos pecaminosos, como está parecendo.

Segundo o próprio site, as opiniões ainda são as mais diversas. Enquanto algumas pessoas condenam, outros acham que as fotos são realmente informativas (e põe informação nisso!).
Eu sempre condenei o Vaticano por quase todas as decisões que eles tomam. Pelo menos dessa vez eles foram bem diretos, né?

Bom, encerro o meu post pedindo desculpas aos leitores assíduos do sexo masculino (principalmente ao Edinho) pela postagem infame e de péssimo gosto. Mas eu precisava descontar minha raiva de alguma forma. O blog foi a válvula de escape escolhida.

Lembrando que a pesquisa é baseada naquelas mulheres que, assim como eu, não encontraram um homem em quem confiar. Um homem bacana e que mereça nossa atenção. Obviamente existem homens incríveis, leais, fiéis, amigos, companheiros, etc. Infelizmente só uma pequena parte da população mundial feminina foi privilegiada com eles. Mas ainda há esperança, né?

Enquanto isso, eu me divirto fazendo compras, comendo muito chocolate e vendo fotos de calendários por aí.

Até mais!

Fotos: Globo.com/Wikipédia

5 comentários:

Andressa Xavier disse...

Sou suspeita em falar sobre isso. A minha frase, que a Naty bem colocou, virou quase lema! hehehe Não, não é pra tanto.

Mas fiquei com uma dúvida. "Obviamente existem homens incríveis, leais, fiéis, amigos, companheiros, etc.". Sério?!?? Mas e onde eles se escondem?? hahaha

Bjão

Edinho Lumertz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Natacha Kötz disse...

Andressa: acho que o Edinho respondeu a tua pergunta, né? Ainda completo dizendo que homens bons existem. Casados, gays, padres (como podemos observar) ou então que não nos interessam. A realidade é cruel.

Edinho: se achares essa pesquisa, compartilha com a gente, ok? Achei bastante interessante. Mas os dados que eu tirei foi de uma pesquisa mais antiga.

Beijos

Edinho Lumertz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Edinho Lumertz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.