quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Pra que serve a razão?

Recebi um e-mail hoje falando das campanhas de conscientização sobre os maus-tratos contra animais. No mesmo momento em que eu recebia o e-mail, quase que por coincidência, se não fosse por destino, recebemos um chamado aqui no Centro de Controle de Operações da Concepa (aquele em que você liga, caso esteja empenhado na rodovia - S.O.S-Free Way), sobre um cavalo que estaria passando mal. Ao passar pela Ponte do Guaíba, carregando sua carroça, não aguentou e caiu.

O homem é tão narcisista e arrogante, que se diz "ser pensante", dotado de raciocínio e este é o que o difere dos animais. Mas pergunto: Para que serve raciocinar? Para usar usar essa força superior para maltratar àqueles que não sabem como se defenderem? Para arrastar por quilômetros um cachorro indefeso?

Há pouco tempo, foi sancionada uma Lei em Porto Alegre, que trata da exclusão do transito de carroças na cidade, de forma gradativa num prazo de oito anos. Uma das coisas que ouvi, daqueles que defendem os "humanos", é que é uma forma de trabalho e como eles ficarão sem emprego? Alguém perguntou para os animais se queriam um destes "empregos"?

As vezes me assusto ao ouvir uma amiga dizer que gosta mais de animais do que de pessoas, mas nessas horas a entendo.

Enfim... Este é um assunto que não domino, por isso não vou me prolongar, apenas acredito que a supracitada coincidência estava me pedindo para compartilhar o acontecido.

Pensei em colocar uma foto de maus-tratos para enfatizar, mas preferi deixá-los com a imagem que devemos copiar.

13 comentários:

Edinho Lumertz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Edinho Lumertz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Edinho Lumertz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Natacha Kötz disse...

Ai, Elis! Que lindo o que tu postou.
Crueldade com animais é algo inaceitável. Inacreditável que ainda existam pessoas que façam isso com os pobrezinhos.
Como se já não bastasse usá-los como escravos ainda maltratam.

E a tal amiga que prefere animais sou eu? Hehehe... Claro que valorizo muitos meus amigos e parte da família que eu gosto. Aliás, prefiro os citados do que os animais. Mas se fôssemos colocar em uma balança toda a população de humanos e toda a população de animais do planeta, eu ia ficar com a dos animais.

Legal tua iniciativa de postar sobre isso. Abordou o assunto com muita sensibilidade.

Beijinhos e bom final de semana!

Elisandra Borba disse...

Na verdade Naty, depois lembrei que tu tb fala isso... mas estava me referindo a uma amiga, que quando soube que "a vaca que quase foi atropelada" era uma mulher e não uma vaca de verdade, ficou aliviada. Achei estranho na hora, mas acho que ela tem razão...

É Edinho, acho que se eles carregassem as carroças, talvez pensassem melhor. Mas eu sigo acreditando no mundo. Até estou pensando num post sobre isso...

Depois que já tinha escrito o post, descobri que o bichinho quebrou as duas patas ao passar pelo vão móvel. Não sei o que aconteceu depois. Mas é de se imaginar o que fazer com cavalos que quebram as patas, né?

Edinho Lumertz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Edinho Lumertz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Edinho Lumertz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Edinho Lumertz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Edinho Lumertz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Edinho Lumertz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Elisandra Borba disse...

Que bonito! recebi uma declaração de amor on line!
Tô adorando esse blog

Andressa Xavier disse...

Mas aaaaaah! hehehe